TudoSobreTudo

terça-feira, 31 de maio de 2016

Tenha um bom governo, ou receba o seu voto de volta





Quase todos os países desenvolvidos são parlamentaristas. E não é à toa. Só com esse sistema dá para trocar de governo com o bonde andando sem que isso ameace a própria democracia.
Tenha um bom governo, ou receba o seu voto de volta
Em um domingo de abril, os habitantes da Islândia ficaram sabendo que o seu primeiro-ministro, Sigmundur David Gunnlaugsson, tinha participação em uma empresa não declarada em paraísos fiscais. Pegou mal. Já na segunda-feira, multidões tomaram as ruas exigindo que ele renunciasse. Na noite de quarta-feira, Gunnlaugsson já havia deixado o cargo, os deputados entraram em acordo para o nome do novo chefe de governo. E as eleições, que aconteceriam no fim de 2017, foram antecipadas em um ano. Um escândalo, enfim, mas sem grandes traumas. Os 323 mil habitantes da ilha parecem satisfeitos com a solução. Que não é incomum, aliás. Em setembro do ano passado, a Austrália trocou de ministro porque tanto a opinião pública quanto o próprio partido do primeiro-ministro Tony Abbott não estavam satisfeitos com seu governo. "O primeiro-ministro da Austrália não é um presidente. Ele é o primeiro entre os iguais", disse o novo ocupante do cargo, Malcolm Turnbull, do mesmo partido do agora ex-mandatário. Sem trauma. Sem golpe.
Alexis Tsipras, primeiro-ministro da Grécia, foi eleito em janeiro de 2015 para tirar o seu país do buraco. Sete meses depois, seu plano não havia conseguido o apoio necessário no Parlamento, e vários deputados do seu partido abandonaram o barco. Novas eleições gerais foram convocadas para dali a um mês. Sua base foi recomposta, com novos parlamentares. E Tsipras foi reconduzido ao cargo, agora fortalecido. 
Esses exemplos deixam claro: qualquer país vive crises de governabilidade. Por outro lado, qualquer que seja sua posição sobre o que está havendo no Brasil, uma coisa é certa: nenhum desses cenários acima teria sido possível aqui. E não é por uma questão cultural, mas sim de organização política: Islândia, Austrália e Grécia, além de 24 dos 28 países europeus e da maioria das economias desenvolvidas do mundo, têm sistemas parlamentaristas, e não presidencialistas.
No parlamentarismo, pode haver um presidente também - ou mesmo um rei - mas eles têm poderes limitados. A democracia nesse sistema funciona com o povo votando em deputados e partidos. Em linhas gerais, o partido que teve mais votos se alia a algum outro e, com o controle dos votos na Câmara, escolhe o primeiro-ministro e decide a política econômica e as leis que serão votadas.
Se houver um escândalo envolvendo o primeiro-ministro, ou se um partido sair da base, é comum que outra pessoa seja colocada no lugar, e as coalizões sejam refeitas. Mesmo quando novas eleições são convocadas, não há tanto choque quanto em uma democracia presidencialista. Historicamente, escândalos envolvendo chefes de Estado em regimes presidencialistas terminam em golpe militar, guerra-civil, suicídio do indivíduo deposto. Muito drama, pouco cérebro, toneladas de impasses. 
Juan Linz, cientista político de Yale (EUA), definiu muito bem. Como tanto o presidente quanto o Congresso foram eleitos, ambos podem argumentar que falam pelo povo. E se eles discordam, temos problemas. Porque, como disse Linz: "Não há um princípio democrático para resolver essa disputa, e os mecanismos que a Constituição dá podem se provar aridamente legalistas para ter força aos olhos do eleitorado." Ah, ele não estava se referindo ao caso brasileiro. Linz escreveu isso em 1990.
Em 2013, porém, os americanos retomaram a discussão do artigo de Linz para questionar seu próprio presidencialismo. Obama, democrata, não conseguia passar nenhuma lei pelo Congresso, de maioria republicana. A rebeldia foi tamanha que durante alguns dias em outubro o governo entrou em "shutdown" - sem orçamento aprovado, não podia pagar contas e servidores. Os europeus, parlamentaristas, não entendiam como aquilo podia estar acontecendo. Os EUA são o único país presidencialista do Ocidente que jamais viu um golpe de Estado. Com a polarização aumentando e figuras autoritárias como Trump pintando em cena, agora isso deixa o terreno das impossibilidades.
Se o presidencialismo parece estar fadado a crises traumáticas e quedas de braço entre executivo e legislativo, por que teimamos em continuar com ele? Ninguém sabe. As respostas passam por questões históricas e culturais (todos os países vizinhos são assim), mas o fato é que já tentaram emplacar a ideia, e o povo não gostou de delegar a uma "elite" a eleição do chefe do governo. A ideia sempre foi forte nos corredores do Congresso. Muitos políticos importantes no Brasil, como Ulysses Guimarães e Fernando Henrique Cardoso, defendiam o parlamentarismo quando discutia-se a Constituição de 1988. A decisão acabou ficando para um plebiscito, realizado em 1993, e o presidencialismo ganhou de lavada, com 69,2% dos votos válidos. 
Mas a verdade é que o nosso presidencialismo tem algumas pitadas de parlamentarismo. Talvez as piores: deputados e senadores não governam, mas são capazes de impedir que o Executivo governe. Para resolver esse problema, recorre-se a algumas gambiarras, como a distribuição de cargos na Esplanada dos Ministérios. Quase sempre sem nenhum critério técnico, apenas político. E tome pastas fundamentais controladas por amadores. 
Dá para mudar esse sistema? Difícil. Em primeiro lugar porque não damos importância para o Congresso. Em uma pesquisa de 2014, quase metade da população disse não se lembrar de em quem votou para deputado nas eleições anteriores. Outro problema: com 35 partidos políticos, sem coerência ideológica, é difícil pensar em uma coalizão sendo formada sem feira de cargos. 
Quando olhamos para os deputados que temos, é possível pensar que, antes de discutir o parlamentarismo, precisamos repensar a nossa relação com o Parlamento. Acompanhar a atuação dos representantes, cobrar coerência ideológica e, bem, votar em gente que possa fazer alguma diferença, e não simplesmente gente famosa. 
Seja como for, o sonho de um sistema menos caótico está longe de ser enterrado. Em meio à crise do governo atual, a própria ideia do parlamentarismo foi ressuscitada, e está sendo discutida no Supremo Tribunal Federal e no Senado. Se nada der certo, bem, os monarquistas estão a postos. João de Orleans e Bragança, trineto de Dom Pedro 2o, foi visto em protestos recentes contra a presidente, dizendo que "a República está com os dias contados". 
http://super.abril.com.br/node/530536 

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Áudios revelam reunião de ministro da Transparência com Renan com críticas à Lava Jato

  Fabiano Silveira (esq) e Renan Calheiros (dir).
© Foto: Estadão Fabiano Silveira (esq) e Renan Calheiros (dir).
Novos áudios gravados pelo ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado revelados neste domingo, 29, pelo Fantástico, da TV Globo, mostram o atual ministro da Transparência, Fiscalização e Controle, Fabiano Silveira, quando ele ainda era conselheiro do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em reuniões com Machado e o presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL) para discutir a operação e até sugerir estratégias de defesa.

Segundo a reportagem, cerca de três meses antes de assumir o cargo, Fabiano Silveira esteve em uma reunião na casa de Renan Calheiros, onde a Lava Jato foi amplamente discutida com investigados. Durante as tratativas do acordo de delação premiada, o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado disse que no dia 24 de fevereiro deste ano foi à casa de Renan Calheiros para conversar, entre outras coisas, sobre, abres “as providências e ações que ele estava pensando acerca da operação Lava Jato”.
Participam da reunião, além dele e Renan Calheiros, Bruno Mendes, advogado ex-assessor de Renan, e Fabiano Silveira. Na prática, o atual ministro da Transparência, Fiscalização e Controle, encarregado de combater a corrupção no governo federal, participou de uma conversa em que, segundo Sérgio Machado disse aos investigadores, foram feitas críticas à Lava Jato e à Justiça.
Além disso, segundo a reportagem, é possível entender que Fabiano orienta Renan e Sérgio Machado sobre como se comportar em relação à Procuradoria-Geral da República (PGR), que abriu 12 inquéritos contra o presidente do Senado na Lava Jato. A qualidade do áudio é ruim, há varias pessoas na sala, mas é possível identificar as vozes de Machado, de Renan Calheiros, de Fabiano e de Bruno Mendes.
O PRIMEIRO TRECHO:
“MACHADO: Esse foi o motivo, Fabiano… (inaudível). As explicações que estão aí, você vê que são todas contundentes.
BRUNO: Tudo que eles falam, p****, a imprensa só dá… Rapaz, você acredita que os caras tinham a cara de pau de dizer no noticiário que o (inaudível) ia ser julgado? (inaudível)
Em seguida, Fabiano faz um comentário sobre a situação de Sérgio Machado e diz que ele deve procurar o relator da medida cautelar para prestar esclarecimentos.
FABIANO: Eu concordo com a sua condição de, tendo sido objeto de uma medida cautelar, simplesmente, não… Dizer assim: ‘olha, não é comigo isso…’ acho que tem que dizer, tem que se dirigir ao relator prestando alguns esclarecimentos, é verdade.
MACHADO: Sobretudo Fabiano… Não tem nada.
BRUNO: Nós não temos um movimento pra fazer agora.”
Em outro momento da conversa, o presidente do Senado demonstra preocupação com um recibo que estaria sob investigação da PGR a partir das delações da operação e que faz parte de um dos inquéritos aos quais Renan responde no STF.
“RENAN: Cuidado, Fabiano! Esse negócio do recibo… Isso me preocupa pra c******. (…)
MACHADO: Eles me botaram num processo lá de 800 mil que o Youssef tinha dito que era pra… (inaudível) estaleiro. Que eles estão de acordo se tem certeza que era pra você (inaudível).
(voz não identificada): Yousseff disse?

MACHADO: Não. Da conclusão eles entendem que… (inaudível)”
Com o avanço do diálogo, Fabiano discute com eles a estratégia de defesa de Machado e Renan nesse caso. Fabiano, segundo a reportagem, aconselha Renan dizendo que, aparentemente, ele não deve entregar uma versão dos fatos, pois isso daria à Procuradoria condições de rebater detalhes da defesa.
“FABIANO: A única ressalva que eu faria é a seguinte: está entregando já a sua versão pros caras da… PGR, né. Entendeu? Presidente, porque tem uns detalhes aqui que eles… (inaudível) Eles não terão condição, mas quando você coloca aqui, eles vão querer rebater os detalhes que colocou. (inaudível)”
Mais à frente, Fabiano chega a fazer críticas à condução da investigação pela PGR e diz que Janot e os procuradores estão “perdidos”.
“MACHADO: Diz que o… Janot não sabe nada. O Janot só faz… (inaudível) cada processo tem um procurador.
FABIANO: Eles estão perdidos nesta questão.
(…)
MACHADO: A última informação que vocês têm, não tem nada, não apuraram nada até hoje, é isso?

FABIANO: não.
(voz não identificada): É a última informação, né? (inaudível). Eles, desde o início, Sérgio, eles estão jogando verde para colher maduro. O cara fala: ‘eu não conheço o Renan’… (inaudível).
FABIANO: Eles foram lá buscar o limão e saiu uma limonada.”
Ainda segundo a reportagem, em outra conversa, em 11 de março, sem a presença de Fabiano, Renan e Machado comentam a atuação do atual ministro da Transparência, Fiscalização e Controle, que teria ido falar com o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, depois da reunião que tiveram em 24 de fevereiro.
De acordo com o Fantástico, Fabiano procurou diversas vezes integrantes da força-tarefa da Lava Jato para tentar obter informações de inquéritos contra Renan. E saía de lá com informações evasivas, que eram comemoradas por Renan. Nesta conversa, Renan disse que alguém na Procuradoria nada tinha achado contra ele e que tinha classificado o presidente do Senado de “gênio”.
“RENAN: Ele disse ao Fabiano: ‘Ó, o Renan… Se o Senan tiver feito alguma coisa que eu não sei… Mas esse cara, p****, é um gênio, usou essa expressão. ‘Porque nós não achamos nada’.
MACHADO: Já procuraram tudo.
RENAN: Tudo.”
COM A PALAVRA, AS DEFESAS:
Por meio de nota encaminhada à TV Globo, Fabiano disse que esteve “de passagem” na residência oficial do Senado, mas que não sabia da presença de Sérgio Machado. Ele disse, ainda, que não tem nem nunca teve nenhuma relação com Sérgio Machado. Segundo Fabiano, ele esteve “involuntariamente”, em uma conversa informal, e jamais fez gestões ou intercedeu junto a instituições públicas em favor de terceiros.
A defesa do ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, disse à TV Glovo que não pode se manifestar por causa do sigilo da delação premiada.
O presidente do senado, Renan Calheiros, do PMDB não respondeu aos contatos da TV Globo.
O presidente em exercício, Michel Temer, e o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, não quiseram comentar, segundo a TV Globo.
http://www.msn.com/pt-br/noticias/crise-politica/%C3%A1udios-revelam-reuni%C3%A3o-de-ministro-da-transpar%C3%AAncia-com-renan-com-cr%C3%ADticas-%C3%A0-lava-jato/ar-BBtD5ZS?li=AAggXC1&ocid=SK2MDHP 

domingo, 29 de maio de 2016

Marido de atriz ‘defensora’ de Dilma tinha cargo em empresa pública com salário de R$ 91 mil


 


 A estatal EBC [Empresa Brasil de Comunicação ], responsável pela TV Brasil, foi transformada pelo PT em cabide de empregos para defensores e amigos de Dilma e Lula
O presidente em exercício Michel Temer já ordenou que se faça uma ‘devassa’ na farra petista que se instalou no governo federal.
Milhões e milhões dos contribuintes foram jogados fora em programas de amigos da petralhada.
Um desses casos é o do diretor de teatro Aderbal Freire Jr, casado com a atriz Marieta Severo.
Aderbal recebia a bagatela de R$ 91 mil por mês, um valor cinco vezes maior do que o salário do presidente da própria EBC.
Marieta está entre o grupo de artistas que em 2014 assinou manifesto em apoio à reeleição de Dilma Rousseff:
“O caminho iniciado por Lula e continuado por Dilma é o da primavera de todos os brasileiros” disse a atriz.
http://www.diariodobrasil.org/marido-de-atriz-defensora-de-dilma-tinha-cargo-em-empresa-publica-com-salario-de-r-91-mil/# 

Estudo comprova: tomar café faz você mais feliz


Café traz felicidade. O que a gente já suspeitava agora é um fato científico! Um estudo realizado por uma equipe da Universidade de Ruhr, na Alemanha, liderada pelo psicólogo Lars Kuchinke, mostrou que a bebida ajuda o cérebro no reconhecimento mais efetivo e rápido de palavras ou expressões positivas – como “amor” e “feliz” – em comparação com as negativas – como “raiva” ou “tédio”.
O estudo, publicado no site da revista Plos One, foi feito com dois grupos: um tomava pílulas de cafeína, enquanto o outro consumia placebos. Em seguida, ambos realizaram uma atividade em que tinham que diferenciar palavras reais de inventadas. A equipe cafeinada foi mais rápida nas tentativas. E esta maior velocidade se confirmava, principalmente, nas expressões consideradas positivas.

Os resultados apontam que cerca de 200 mg de cafeína – ou o equivalente a duas xícaras – são suficientes para fazer com que o cérebro ganhe esse “poder extra”, tanto na velocidade, quanto na precisão das escolhas.
Mas por que isso acontece? Segundo o site da revista Smithsonian Mag, os pesquisadores acreditam que o café age na área cerebral responsável pelos pensamentos positivos. E que a bebida ativa uma substância chamada dopamina, ligada a criatividade, impulsos e a recompensa.
Agora é fim de papo – como se houvesse alguma dúvida da relação do café com a felicidade…
http://www.mexidodeideias.com.br/tecnicas-de-preparo/estudo-comprova-tomar-cafe-faz-voce-mais-feliz/

Genesis - That's All



terça-feira, 24 de maio de 2016

PF deflagra 30ª fase da Lava Jato e descobre mais de R$ 40 mi em propina

Ação mira contratos fraudulentos com a Diretoria de Serviços da estatal. MP tem indícios de que Dirceu e Duque faziam parte do esquema


Polícia Federal cumpre mandado de busca e apreensão na sede da OAS Empreendimentos
PF deflagra 30ª fase da Operação Lava Jato(Gabriel Soares/Brazil Photo Press/Folhapress)
A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira a 30ª fase da Lava Jato, intitulada Operação Vício. O alvo da 30ª fase são grandes empresas fornecedoras de tubos para a estatal, que atuavam com seus executivos, sócios, advogados e funcionários da Petrobras para sangrar os cofres da estatal e recolher propina. Os investigadores colheram indícios de que o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, já condenado no petrolão a mais de 23 anos de prisão, e o ex-diretor de Serviços Renato Duque, também já penalizado em mais de 50 anos de prisão pelo juiz Sergio Moro, faziam parte do esquema, que movimentou ao todo mais de 40 milhões de reais em propina.
A nova etapa da Lava Jato identificou que uma construtora de fachada foi utilizada para viabilizar o pagamento de propina em um expediente utilizado com frequência por criminosos do colarinho branco: a celebração de contratos fictícios de prestação de serviços. A transferência de dinheiro sujo também foi viabilizada por meio de uma offshore.
O Ministério Público aponta que os contratos entre a Petrobras e as empresas fornecedoras de tubos ultrapassam os 5 bilhões de reais. "Evidências denotam que o pagamento de propinas no interesse desse esquema criminoso perdurou pelo menos entre os anos de 2009 e 2013, sendo que os valores espúrios pagos, no Brasil e no exterior, superam a quantia de R$ 40 milhões", disse o MP. Na etapa batizada de Vício, dois funcionários da Diretoria de Serviços da Petrobras são alvos de condução coercitiva.
Cinquenta agentes federais cumprem 28 mandados de busca e apreensão, 2 mandados de prisão preventiva e 9 mandados de condução coercitiva nos Estados do Rio de Janeiro e São Paulo. A ação de hoje se dá em parceria com a Receita Federal e apura os crimes de crimes de corrupção, organização criminosa e lavagem de dinheiro no esquema que sangrou os cofres da Petrobras.

Publicidade
De acordo com a PF, a operação desta terça é um desdobramento das que revelaram o esquema criminoso do petrolão. O alvo agora são três grupos empresariais que se utilizavam de operadores e contratos fictícios com a estatal - sobretudo com a Diretoria de Serviços - e repassavam dinheiro sujo a funcionários da Petrobras, além de agentes públicos e políticos.
A escolha pelo nome Vício se deu, segundo a corporação, em decorrência da sistemática prática de corrupção por determinados funcionários da estatal e agentes políticos. "O termo ainda remete a ideia de que alguns setores do Estado precisam passar por um processo de desintoxicação do modo corrupto de contratar presente não ação de seus representantes", diz a PF em nota.
A PF cumpre ainda mandados com o objetivo de apurar pagamentos a um executivo da área internacional da Petrobras em contratos firmados para aquisição de navios-sonda.
http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/pf-deflagra-30-fase-da-operacao-lava-jato 

Moro se cala sobre Jucá, mas afirma: 'Instituições não dependem da vontade do governo'

Sergio Moro no Fórum VEJA - O Brasil que temos e o Brasil que queremos
Sergio Moro no Fórum VEJA - O Brasil que temos e o Brasil que queremos(Heitor Feitosa/VEJA.com)
O juiz federal Sergio Moro, que conduz as ações decorrentes da Lava Jato em Curitiba, preferiu não comentar nesta segunda-feira, ao chegar ao Fórum VEJA, os áudios em que o ministro do Planejamento Romero Jucá trata com Sérgio Machado sobre um suposto pacto para deter os avanços das investigações, revelados pelo jornal Folha de S. Paulo. O magistrado afirmou apenas que o Brasil tem instituições sólidas que não dependem do interesse de um governo para prosseguimento ou não dos trabalhos do Judiciário. O juiz disse ainda que espera que a Lava Jato acabe até o fim do ano, mas que novos fatos estão vindo à tona e não há um prazo fixo pra acabar. "O país tem um desafio muito grande." (Luis Lima e Victor Fernandes, de São Paulo)
http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/moro-cala-sobre-juca-mas-afirma-instituicoes-nao-dependem-da-vontade-do-governo 

Moro, aplausos e um pedido: 'Prenda o Lula'

Sergio Moro no Fórum Veja - "O Brasil que temos e o Brasil que queremos ter"
Juiz Sergio Moro participa do Fórum Veja - "O Brasil que temos e o Brasil que queremos ter", no Teatro Santander em São Paulo - 23/05/2016(Heitor Feitosa/VEJA.com)
Ao deixar o Fórum VEJA na manhã desta segunda-feira, em São Paulo, o juiz federal Sergio Moro foi cercado por fãs que pediram fotos e autógrafos. Antes de entrar no carro, foi aplaudido por funcionários do teatro onde ocorreu o evento e ouviu de um deles: "Está na hora de prender o Lula, hein?". O juiz federal deixou o local por volta das 11h30. Durante o debate, o magistrado chegou a ser questionado sobre uma eventual prisão do ex-presidente. Afirmou que não poderia falar do assunto e limitou-se a dizer que não se pauta pela opinião pública. (Victor Fernandes, de São Paulo)
http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/moro-aplausos-e-um-pedido-prenda-o-lula 

Em gravações, Jucá sugere pacto para deter Lava Jato, diz jornal

Defesa do atual ministro alega que ele "jamais pensaria em fazer qualquer interferência" na Operação

 

Entrevista coletiva com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e o ministro do Planejamento, Romero Jucá, sobre a nova meta fiscal de 2016, em Brasília (DF) - 20/05/2016
Entrevista coletiva com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e o ministro do Planejamento, Romero Jucá, sobre a nova meta fiscal de 2016, em Brasília (DF) - 20/05/2016(Adriano Machado/Reuters)
Em conversa com o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, o ministro do Planejamento, Romero Jucá (PMDB-RR), sugeriu que uma possível mudança no governo federal resultaria em um pacto para "estancar a sangria" feita pela Operação Lava Jato, que investiga ambos. O diálogo foi gravado em março e revelado nesta segunda-feira pelo jornal Folha de S. Paulo.
A conversa ocorreu semanas antes da votação do processo de impeachment de Dilma Rousseff na Câmara dos Deputados. O áudio tem mais de uma hora duração e está em posse da Procuradoria Geral da República (PGR). O advogado do atual ministro, Antonio Carlos de Almeida Castro, disse ao jornal que Jucá "jamais pensaria em fazer qualquer interferência" na Lava Jato "porque essa não é a postura dele".
"Estancar essa sangria" - Em um dos trechos revelados pelo jornal, Machado diz: "O Janot [procurador-geral da República] está a fim de pegar vocês. E acha que eu sou o caminho". Logo em seguida, Jucá afirma "Se é político, como é a política? Tem que resolver essa porra... Tem que mudar o governo pra poder estancar essa sangria". Machado acredita que o envio de seu caso do Supremo Tribunal Federal para o juiz federal Sergio Moro, em Curitiba, seria uma estratégia para que ele fizesse delação premiada e, com isso, incriminasse líderes do PMDB. Outro trecho da conversa revela o receio de novos acordos com a Justiça. Machado afirma que novas delações não deixariam "pedra sobre pedra". Jucá completa dizendo que o caso "não pode ficar na mão desse [Moro]".
Adiante, Machado diz: "Então eu estou preocupado com o quê? Comigo e com vocês. A gente tem que encontrar uma saída".
Publicidade
"Delimitava onde está" - Machado ainda afirma que "a solução mais fácil era botar o Michel [Temer]". Jucá acrescenta que um eventual governo de Temer poderia construir um pacto nacional "com o Supremo, com tudo" e Machado responde "aí parava tudo". "É, delimitava onde está, pronto", diz Jucá. Quando Machado afirma que "o caminho é buscar alguém que tenha relação com Teori [Zavascki]", que é o relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), Jucá classifica o ministro como "um cara fechado".
Ainda durante a conversa, Machado afirma que a situação é grave. "Eles querem pegar todos os políticos", diz, logo em seguida, acrescentando que precisa da inteligência de Jucá, e o ministro se põe à disposição: "Veja a hora que você quer falar".
"Quem que não sabe?" - Em outro trecho, Machado afirma que o senador Aécio Neves seria o primeiro "a ser comido", referindo-se às investigações da Lava Jato, ao que Jucá responde: "Todos, porra. E vão pegando e vão...".
Em outro trecho da conversa sobre o senador tucano, Machado diz que Aécio "não ganha porra nenhuma...", e Jucá responde: "Não, esquece. Nenhum político desse tradicional ganha eleição, não". "O Aécio não tem condição, a gente sabe disso. Quem que não sabe? Quem não conhece o esquema do Aécio? Eu, que participei de campanha do PSDB...", continua Machado.
"Poucos caras ali" - O juiz federal Sergio Moro é mencionado na conversa como "uma 'Torre de Londres'", em uma referência ao castelo da Inglaterra onde ocorreram torturas e execuções, já que, segundo Jucá, os suspeitos eram enviados até Moro "para o cara confessar".
O ministro Jucá afirmou também que havia mantido conversas com "ministros do Supremo", porém não os mencionou nominalmente. Segundo Jucá, os ministros relacionaram o afastamento de Dilma com o fim de pressões da imprensa e de outros setores pela continuidade das investigações da Operação Lava Jato, e em seguida afirmou que tem "poucos cara ali [no STF]" dos quais não tem acesso.
"Boi de piranha" - Na conversa com Jucá, Machado diz que o presidente do Senado, Renan Calheiros, ainda não entendeu que "a saída dele é o Michel [Temer] e o Eduardo [Cunha]". "Na hora que cassar o Eduardo, que ele tem ódio, o próximo alvo, principal, é ele", diz Machado. "Então quanto mais vida, sobrevida, tiver o Eduardo, melhor pra ele". Jucá afirma em seguida que é preciso "um boi de piranha" para que eles possam "chegar do outro lado da margem".
O ex-senador, Sérgio Machado é afilhado político de Renan Calheiros. Em novembro de 2014, citado nas investigações da Operação Lava Jato como um dos integrantes do esquema de corrupção na Petrobras, pediu licença do cargo de presidente da Transpetro, que ocupou por mais de dez anos. No STF, Machado é alvo de inquérito junto com Renan Calheiros.
Jucá teve seu nome citado em delação premiada do dono da UTC, Ricardo Pessoa. Desde então, ele é alvo de inquérito no STF por suspeita de recebimento de propina, além ser investigado na Operação Zelotes.
(Da redação)
http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/em-gravacoes-juca-sugere-pacto-para-deter-lava-jato-diz-jornal 

Propina durante mensalão revela que Genu é ‘profissional do crime’, diz Moro

O juiz federal Sérgio Moro, da 3ª Vara Criminal de Curitiba, durante sessão em São Paulo (SP), nesta terça-feira (29)
O juiz federal Sérgio Moro, da 3ª Vara Criminal de Curitiba, durante sessão em São Paulo (SP), nesta terça-feira (29)(Nelson Almeida/AFP)
O juiz federal Sergio Moro, responsável pelos processos do petrolão em Curitiba, considera que existem indícios de que o ex-assessor do Partido Progressista (PP) João Claudio Genu, preso nesta segunda-feira durante a 29ª fase da Operação Lava Jato, atuava com "profissionalismo e habitualidade na prática do crime". O motivo, aliado à possibilidade de Genu destruir provas das investigações, foi utilizado por Moro para decretar a prisão preventiva do operador do PP.
Em despacho datado do último dia 20, Moro critica o fato de Genu, réu no julgamento do mensalão, ter recebido dinheiro sujo mesmo quando o Supremo Tribunal Federal (STF) processava políticos e empresários suspeitos de distribuir propina para a formação da base aliada do primeiro mandato do governo Lula. Ao final, João Claudio Genu conseguiu reverter a condenação por lavagem de dinheiro por meio de embargos infringentes. Também foi beneficiado com a prescrição da pena imposta a ele pelo crime de corrupção.
"A percepção de propinas em esquema criminoso enquanto estava sendo processado por outro caracteriza, em princípio, acentuada conduta de desprezo não só à lei e à coisa pública, mas igualmente à Justiça criminal e à Suprema Corte", disse Moro. "Enquanto os eminentes ministros discutiam e definiam, com todas as garantias da ampla defesa, a responsabilidade de João Cláudio de Carvalho Genu pelos crimes, o próprio acusado persistia recebendo vantagem indevida decorrente de outros esquemas criminosos, desta feita no âmbito de contratos da Petrobras", continuou o magistrado.

"A prova do recebimento de propina mesmo durante o processamento da Ação Penal 470 [mensalão] reforça os indícios de profissionalismo e habitualidade na prática do crime, recomendando a prisão para prevenir risco à ordem pública", resumiu.
Entre as provas colhidas contra João Claudio Genu estão referências na planilha da propina feita pelo doleiro Alberto Youssef. Na listagem, o operador do PP é identificado com os codinomes Mercedão, Gordo, João e Ronaldo tanto quando os repasses têm como destinatário ele próprio quanto nos casos de o dinheiro ser remetido ao ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa.
Além da planilha, os investigadores reuniram contra Genu controles de pagamento de Carlos Habib Chater, doleiro condenado na Lava Jato, registros de visitas nos escritórios de lavagem de dinheiro de Youssef, uma mensagem eletrônica enviada por Genu ao doleiro, a movimentação financeira expressiva e sem origem identificada de empresas relacionadas ao suspeito e compras de joias e imóveis em dinheiro vivo.
http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/propina-durante-mensalao-revela-que-genu-e-profissional-do-crime-diz-moro 

quinta-feira, 12 de maio de 2016

Em post, Dilma chama decisão do Senado de "injustiça histórica"


Página oficial da presidente afastada se manifestou após a votação do processo de impeachment na manhã desta quinta-feira (12)
A página oficial de Dilma Rousseff se manifestou depois da aprovação do afastamento da presidente para julgamento do processo de impeachment, na manhã desta quinta-feira (12). No post, é dito que o senadores não conseguiram apontar o crime cometido por DIlma, chamando o ato de "golpe" e "injustiça histórica". Leia abaixo a íntegra do texto.
"É GOLPE
Sem conseguir apontar o crime cometido, o Senado Federal decidiu afastar a presidenta Dilma e prosseguir com o impeachment. O ministro José Eduardo Cardozo, da AGU Advocacia-Geral da União, destacou que se está cometendo uma injustiça histórica, em que procedimentos, como o direito de defesa, são usados para oferecer legitimidade a um processo que rasga a Constituição."
http://www.msn.com/pt-br/noticias/crise-politica/em-post-dilma-chama-decis%C3%A3o-do-senado-de-injusti%C3%A7a-hist%C3%B3rica/ar-BBsXCj2?li=BBsWisn&ocid=SK2MDHP#image=BBsXzGU|1 

sábado, 7 de maio de 2016

"Não sou feliz." - "Imita as características das pessoas felizes!"


"Não sou feliz." - "Imita as características das pessoas felizes!" #3

Existem uma série de características comuns que as pessoas felizes tendem a reunir. Agora, o mais interessante e que desde logo me fascinou, é que se imitarmos estas pessoas, mesmo que finjamos um pouquinho, com o tempo tendemos a ser mais felizes.

Acredita que não estou a imaginar coisas, existem pelo menos duas teorias que explicam isso:
- a «hipótese do retorno facial» - significa que quando nos exprimimos como as pessoas felizes (por ex.: sorrindo mais, assumindo um postura confiante, tendo uma voz animada...), o nosso corpo emite sinais ao cérebro de que estamos a experimentar determinada emoção e isso faz com que efectivamente a experimentemos. Para além das posturas físicas, imitar as atitudes das pessoas mais felizes também contribui para aumentar a nossa felicidade.
- a «neuroplasticidade do cérebro» - significa que se repetirmos de forma consistente determinados padrões de comportamento/pensamento, com o tempo as áreas cerebrais associadas a essas mesmas actividades ficarão mais desenvolvidas. Isso significa que com o tempo, determinados comportamentos e/ou pensamento sair-te-ão mais naturalmente, sem esforço (tornam-se num hábito). Por exemplo se te concentrares em desenvolver o teu optimismo (sim, é possível!), com o tempo as áreas cerebrais associadas à alegria estarão mais desenvolvidas fisicamente (o que até é observável mediante determinados exames ao cérebro). 

Se neste momento não és feliz, um dos passos para a felicidade, passa justamente por conheceres as características das pessoas mais felizes. Espreita então quais são:

1. Conectividade

A característica mais importante e consistente das pessoas felizes é estarem ligadas a outras pessoas por relações afectuosas e de confiança, que lhes dão segurança e sentido de pertença. Estas relações são importantes para passarem bons momentos no dia-a-dia, para se sentirem apoiados nos maus momentos, para cooperarem e para se sentirem úteis quando ajudam os outros.

O que importa não é definitivamente ter 1000 amigos no facebook, mas sim a qualidade das relações. Noutras palavras, uma pessoa pode ser efectivamente mais feliz se tiver uma relação profunda com o/a seu/sua parceiro/a, com o/s seu/s filho/s, com os seus pais e com 1 ou alguns grandes amigos. Claro que faz toda a diferença optares por te rodear de pessoas «potenciadoras», ou seja, aquelas que trazem cá para fora o melhor de ti.


Por isso, se quiseres ser mais feliz, é importante disponibilizares parte do teu tempo para investires nas tuas relações, para as fortaleceres e desfrutares. Que tal dedicares, pelo menos 30 minutos do teu dia inteiramente aos teus filhos (sem outras distracções como a televisão, a Internet, etc.)? Ou então demonstrares ao teu/tua companheiro/a o quanto o/a amas? Ou então marcares um jantar com os teus pais ou com grandes amigos? 
2. Inteligência social e emocional
As pessoas felizes também costumam possuir inteligência social e emocional no mínimo moderada, o que lhes permite criar e manter relações sociais mais facilmente. Conseguem interpretar e reagir adequadamente aos seus próprios sentimentos e aos dos outros. Isto significa que estão aptos para perceber se alguém está alegre, triste, com medo, ciumento, inseguro, zangado, a precisar de carinho, de aprovação ou de um incentivo... Por um lado, conseguem colocar-se no lugar do outro, por outro identificam o que se passa consigo próprios e reagem com base nisso.

Assim, no teu dia-a-dia:

a) Trabalha a tua empatia para com os outros, começa a reflectir sobre o que poderá estar na base do seu comportamento e reage em função disso;
b) Começa a perceber os teus próprios sentimentos e pondera sobre a melhor forma de agires;
c) Da próxima vez que entrares em conflito com alguém, pára uns segundos para pensar porque essa pessoa age assim (será que se sente insegura e por isso sente inveja de ti?, será que está com medo de alguma coisa?, será que é reflexo de um dia mau?). Coloca-te no lugar do outro para perceberes os seus sentimentos. Reage depois com calma, procurando uma solução que agrade ambas as partes (é que gritar é muito fácil, mas grande parte das vezes só exalta os ânimos, e não resolve absolutamente nada). 

Se queres melhorar ao nível das inteligências social e emocional, aconselho-te duas leituras, ambas do Daniel Goleman: o "Inteligência Emocional" e o "Inteligência Social" (não são livros de se ler de uma assentada, mas podem melhorar bastante a tua vida).
3. Capacidade de comunicação
Pessoalmente acho que parte dos problemas da sociedade têm a ver com falhas de comunicação: más interpretações, coisas que ficam por dizer, falas agressivas, ou não saber transmitir o que se pretende. Ora as pessoas felizes tendem a ser boas comunicadoras: fazem-se compreender e também escutam os outros.

Se sentires que tens problemas a comunicar, para a próxima presta mais atenção à mensagem que transmites: o que dizes, as tuas expressões faciais, os teus gestos, a postura corporal. 

a) As pessoas mais felizes tendem a falar num tom mais animado, mostram uma postura confiante e sorriem mais vezes. Começa por imitar essas atitudes. 
b) Assegura-te que a outra pessoa te percebe, pede-lhe para que repita a tua mensagem. 
c) Começa a incluir na tua linguagem expressões mais alegres e entusiastas. Diz “Estou bem” (em vez do tipicamente português “vai-se andando” ou “mais ou menos”), “Vou conseguir”, “Há-de correr bem”. 
d) Em momentos de tensão, tenta manter a calma. A recepção de uma mensagem dita aos gritos, ou de forma calma, tem um efeito completamente diferente no outro. 
e) Se o teu problema é timidez, nada como te preparares previamente para o que queres dizer. A preparação é uma grande ajuda para te sentires mais calmo/a.
f) Por último, não fales todo o tempo, a capacidade de escuta também é muito importante!

4. Inexistência de ansiedade excessiva

A ansiedade, aquela sensação de constante preocupação, por pressupores que algo correrá mal, é a emoção negativa que afecta a felicidade de um maior número de pessoas. Já as pessoas felizes tendem a sentir-se menos ansiosas e a «ruminar» menos em pensamentos negativos.

Para te ajudar a ser menos ansioso/a, sugiro-te a leitura destes posts:

-  como ser mais optimista.
formas de pensar que te ajudarão a ultrapassar os momentos difíceis;
- sugestões para aprenderes a relaxar.
5. Resiliência
Mesmo as pessoas mais felizes, têm a sua quota-parte de stress, de crises e até de tragédias. É possível que nessas circunstâncias se sintam tão aflitas ou se emocionem tanto como todos nós, mas a sua arma secreta é a força e a forma como fazem frente às adversidades. Essa força, a chamada resiliência, é a capacidade de manterem ou recuperarem o bem-estar perante uma adversidade.

Mas uma coisa que se constatou, é que as pessoas mais resilientes possuem algumas características comuns (nas quais podes investir):

- relações sociais significativas que lhes dão apoio (é óptimo ter um ombro amigo para desabafar e até para pedir conselhos!);
- são persistentes, não desistindo à boas (lutarão para superar a situação); 
- têm motivação;
- têm capacidade para planear o futuro (sonhos muitos têm, mas capacidade para planear ir à luta é que faz toda a diferença);
- têm ou procuram aumentar os seus conhecimentos práticos, para lidarem melhor com a situação.

Uma outra ajuda podem ser estes posts:

- Como lidares com os teus problemas;
- Estratégias para lidares com o stress;
- As lições de vida da minha tia N., a pessoa mais resiliente que conheço :) 
6. Focalização externa
As pessoas felizes não costumam dedicar a maior parte do seu tempo a pensar em si próprias, na sua situação, nos seus sentimentos. Em vez disso, concentram os seus interesses em algo maior, no mundo que as rodeia. Mesmo perante algum problema, não costumam culpar-se, optando por concentrar-se na solução.

Apesar de nas sociedade ocidentais existir um certo culto do «eu», é importante que não passes o tempo todo a pensar nos teus problemas, a comparar a tua vida com a dos outros ou a culpar-te em vez de agires. A melhor forma de realizares a focalização externa é descobrires o teu propósito de vida (ou seja, o significado que a tua vida poderá ter, o contributo que poderás trazer a este mundo) e envolveres-te regularmente em actividades absorventes.
7. Focalização no melhor do passado, presente e futuro

As pessoas felizes costumam guardam na memória as lembranças felizes do passado (sem o endeusarem, como se nunca mais pudessem ser felizes assim, ou culpando-o por toda a desgraça do presente - como os mais infelizes fazem). São optimistas a imaginarem o futuro (sem também imaginarem que só poderão ser felizes num futuro longínquo), sonham e fazem as necessárias acções para cumprirem esses sonhos. Saboreiam também o momento presente, desfrutando dos pequenos prazeres da vida. Mesmo que acalentem um sonho futuro, apreciam a jornada, ou seja, cada tarefa que fazem para o alcançar. Lá está, tal como dizia Gandhi, num pensamento que deu origem ao nome deste blog, “Não existe um caminho para a felicidade. A felicidade é o caminho”.


Lê assim este post, sobre como apreciares o melhor do passado, presente e futuro.
8. Sensação de controlo 
A sensação de que se tem algum controlo sobre a vida - em  vez de se estar à mercê do destino ou dos outros - de que podemos fazer escolhas e interferir nos acontecimentos, é mais uma característica dos felizes. Estes sentem igualmente que possuem competências, conhecimentos e motivação para agir, o que é meio caminho andado para controlarem pelo menos parte das suas vidas.

Por isso, da próxima vez que tiveres uma escolha diante de ti, não te deixes ir ao sabor da corrente, nem deixes que os outros escolham por ti. Medita sobre as consequências das várias opções, e toma uma decisão ponderada.


Pessoalmente, acho que nada como alcançar sonhos à nossa própria custa, para termos essa sensação de controlo. Pelo menos comigo funciona assim! (Espreita como com o devido planeamento consegui livrar-me do empréstimo bancário para habitação ou como, neste momento, estou a destralhar a casa inteira).


Para te ajudar a adquires a sensação de controlo da tua vida, não te deixes ficar pelos sonhos, começa a agir! Para tal sugiro-te as seguintes leituras:

- Este post para te ajudar a pôr um fim à procrastinação;
- Mais um post, desta vez com sugestões de motivação para alcançares os teus objectivos;
- O livro "A Força do Hábito" de Charles Duhigg, onde podes aprender como é possível abandonar hábitos negativos e transformá-los/adquirir hábitos positivos (tudo como resultado do teu próprio esforço).
9. Envolvimento em actividades significativas e satisfatórias

O envolvimento em actividades compensadoras, com um significado especial para nós e com um certo grau de exigência, aumenta a nossa felicidade. Não importa propriamente o tipo de actividades (pode ser o próprio trabalho, um hobbie, um trabalho voluntário, um desporto, um novo curso, etc.), têm é de ser actividades em que participes activamente e em que te sintas desafiado/a (por isso estar sentado/a comodamente em frente da TV, não resulta).

Constatou-se justamente que as pessoas felizes passam grande parte do seu tempo envolvidas neste tipo de actividades.
10. Sentido de propósito e significado
Alguém que viva ao sabor da corrente pode ser feliz, mas aquelas pessoas que sabem onde pretendem chegar e porquê, tendem a ser mais felizes. Sentem que a sua existência faz sentido, que podem contribuir para algo maior.

Podes encontrar o propósito e significado da tua vida em coisas como a educação dos teus filhos, o envolvimento numa causa, a tua carreira, uma actividade criativa, uma filosofia de vida, uma religião, um trabalho voluntário, etc. O que estas ocupações têm em comum é que te proporcionam objectivos pessoais a longo prazo, realistas, alcançáveis, mas desafiadores. Como refere Paul Martin "Segundo as investigações, os indivíduos cujos esforços diários estão directamente relacionados com o cumprimento de objectivos a longo prazo tendem a ser mais felizes do que aqueles cujos esforços não estão relacionados com os objectivos de vida".


Se não sabes propriamente qual o teu propósito de vida, podes descobri-lo recorrendo a estas estratégias. Quanto a mim, não tenho quaisquer dúvidas que o meu propósito de vida tem a ver com esta pesquisa sobre felicidade, pois pretendo não só ser mais feliz, mas sobretudo dar o meu contributo para a felicidade dos outros. Isso faz-me tão bem :)


11. Libertação do materialismo excessivo

Ter mais e mais coisas não te fará mais feliz. Aliás, as pessoas demasiado materialistas tendem a ser menos felizes do que aquelas que têm outras prioridades na vida. Efectivamente, o que faz as pessoas mais felizes são as experiências positivas e não os objectos

A felicidade gerada pela aquisição de objectos faz-nos sentir melhor apenas por um curto período de tempo. Logo nos habituamos e começamos a desejar outra coisa. Por outro lado, o excesso de objectos é um factor de stress: pelo tempo que podes demorar a procurar alguma coisa, pelo trabalho doméstico extra que gera, pela sensação de sufoco que uma casa atulhada traz. 


Também o dinheiro, apesar de importante, pode interferir com coisas que realmente têm significado, como as relações pessoais significativas ou o propósito de vida. Isto acontece quando numa busca incessante por mais dinheiro, sacrificas o teu tempo em detrimento daquilo que te faria mais feliz.


Assim, o dinheiro só poderá trazer-te felicidade se te permitir libertar parte do teu tempo para fazeres coisas pessoalmente significativas. Mesmo que tenhas um trabalho exigente (e não há mal nisso), não te esqueças de incluir na tua agenda tempo para actividades significativas: estar em família, desenvolver um hobbie que te apaixona, fazer alguma actividade relaxante ou praticar desporto, etc.


Simplifica também a tua vida, nomeadamente destralhando os objectos que não têm qualquer utilidade ou significado especial. Com menos coisas terás mais tempo para ser feliz!
12. Optimismo realista

O optimismo, ou seja, esperar o melhor, é uma característica comum das pessoas mais felizes. Claro que estou a falar de um optimismo realista e não de atitudes irresponsáveis (se achássemos que a vida é toda cor-de-rosa, poderíamos correr riscos ou sofrer desilusões desnecessárias). 

E já que o optimismo realista é tão importante (faz-te mais feliz, mais apto/a para lidar com o stress e com maior probabilidade de seres bem sucedido/a), sugiro-te a leitura deste post, para aprenderes a ser mais optimista.
13. Auto-estima saudável
A auto-estima tem a ver com gostar de si próprio/a, e é também uma característica comum às pessoas felizes. Mas estou a falar de uma auto-estima saudável, pois nem só a baixa auto-estima é prejudicial, o excesso de auto-estima também o é. Em outras palavras, o importante é gostares de ti, sem te sentires superior ou inferior a ninguém.

Se a tua auto-estima é de tal forma elevada a ponto de prejudicares os outros, deves procurar ajuda profissional, pois isso é meio caminho andado para prejudicares as tuas relações (justamente o que poderia trazer mais felicidade à tua vida). Já se a tua auto-estima é baixa, tenta seguir as sugestões descritas neste post, para a aumentares. Atenção que se a tua auto-estima for tão baixa ao ponto de te sentires deprimido/a (sabe se estás deprimido/a, realizando este teste) ou de afectar a tua relação com os outros, também deves procurar ajuda profissional.


14. Sabedoria

As pessoas com mais sabedoria, são também mais felizes. Mas o que significa isto da sabedoria? Uma coisa garanto: não tem que ver com opiniões do «senso comum» ou com aqueles «treinadores de bancada» que se dizem muito sábios mas depois das coisas terem acontecido. 


A sabedoria tem que ver com a seguinte combinação: de um arsenal de conhecimentos, com formas eficazes de pensar acerca dos problemas. A pessoa sábia permanece objectiva diante um problema, evitando ir-se abaixo com as próprias emoções. É capaz de identificar o problema e, em seguida resolvê-lo de forma prática. O seu conhecimento permite-lhe fazer maioritariamente escolhas acertadas e, quando erra, passa a considerar o erro como mais uma fonte de aprendizagem. Para além disso, não tem a petulância de considerar que já sabe tudo. Pelo contrário, tem interesse em saber sempre mais.


Então como podes aumentar a tua sabedoria?

- Lendo bastante, sobretudo livros que podem melhorar a tua vida;
- Participando em formações do teu interesse;
- Assistindo a documentários;
- Conhecendo os passos de pessoas que enfrentaram problemas na vida e que conseguiram superá-los (por exemplo, lendo biografias inspiradoras);
- Tentando retirar uma lição das más experiências;
- Adquirindo o hábito de pensar mais eficazmente, nos momentos difíceis;
- Aprendendo a lidar com os problemas;
- Não estabelecendo objectivos irrealistas;
- Aceitando que as coisas más por vezes acontecem, mas mesmo assim, há que seguir em frente.

15. Jovialidade

As pessoas felizes tendem a incluir um pouco de brincadeira e divertimento nas suas vidas, sendo que estas proporcionam os 3 elementos básicos da felicidade: o prazer, a ausência de desprazer e a satisfação. E o melhor é que a jovialidade nos torna mais criativos, mais abertos a novas experiências.

Mas como introduzir esta característica no teu dia-a-dia? Passa a incluir momentos lúdicos na tua agenda, como por exemplo: praticar um desporto, fazer jogos em família ao serão, tocar um instrumento, organizar «serões do riso», ir beber um refresco a uma esplanada com os amigos...  Tenta também falar num tom mais animado, sorrir e rir mais.


16. Sentido de humor
Uma pitada de humor na nossa vida, só nos faz bem e esta é mais uma característica das pessoas felizes (estou a falar de humor saudável, não de gozar com os outros). 

A verdade é que o humor nos ajuda a ultrapassar as contrariedades, a lidar com o stress e a aliviar a tenção. Faz com que o que é mau, pareça menos ameaçador. Desanuvia também o ambiente no local de trabalho e favorece a conectividade entre pessoas (a característica que mais favorece a felicidade).


Por isso, não leves tudo tão a sério. Como disse no ponto anterior, sorri e ri mais!

17. Estado de fluxo frequente

As actividades que nos permitem atingir o dito «estado de fluxo», são aquelas que nos dão prazer, que não sentimos como uma obrigação e em que ficamos de tal forma absorvidos, que nos esquecemos do tempo a passar. Toda a nossa atenção está dirigida para aquela actividade, quase esquecemos o mundo em redor. O nosso desempenho e satisfação ficam lá nos píncaros. 


As pessoas felizes costumam sentir este «estado de fluxo» com bastante regularidade. Felizmente, é uma coisa que eu própria costumo experimentar bastante vezes!
Acredita que é relativamente fácil entrar em «estado de fluxo», pois tanto actividades mais difíceis como escalar uma montanha, como outras absolutamente triviais, como ler um bom livro, o podem proporcionar. Depende um pouco da tua personalidade e gosto pessoal, mas podes entrar em estado de fluxo a praticar um desporto, a meditar, a conviver, a ouvir música, a destralhar e organizar, a tocar um instrumento, a dançar, a estudar, a fazer jardinagem, a pintar, a fotografar, a cozinhar, a escrever num blog ;) - esta é para mim...

Também no teu trabalho, se te empenhares plenamente numa tarefa e se fores construindo desafios pessoais, podes encontrar espaço para atingir o «estado de fluxo».

18. Gratidão
As pessoas felizes são igualmente gratas pelo que têm de bom (aliás, a gratidão pode aumentar a felicidade em cerca de 25%!). Não tomam as coisas boas com garantidas, costumam pois valorizá-las e cuidar delas (por exemplo das suas relações).

Existem formas de praticares a gratidão: dedicando uns minutinhos diários para visualizares o que te aconteceu de bom, 
escrevendo num diário de gratidão, celebrando as tuas conquistas, agradecendo a Deus pelas coisas boas que te acontecem, transmitindo a tua gratidão e reconhecimento a alguém a quem nunca agradeceste como devias, etc.

É igualmente importante cuidares do que tens de bom, nomeadamente dedicando tempo às tuas relações significativas - com os amigos,
o/a companheiro/a, os filhos... 

««»»
Tenho consciência de que este post ficou bastante extenso. Inicialmente cheguei a pensar em fazer uma série de post's menores, mas apercebi-me de que faria mais sentido reunir toda esta informação num só artigo (se achares entediante, podes sempre ir lendo aos poucos).

A lista de características das pessoas felizes pode também parecer intimadora, especialmente para quem estas características não surgem naturalmente. Mas a minha ideia foi apresentar-te o todo, para depois te concentrares numa parte. Noutras palavras, para começares a ser mais feliz, é preferível trabalhares uma ou duas características de cada vez. 


No meu caso, ainda tenho muito a melhorar, mas sinto que desde que comecei a pesquisar sobre "felicidade" já dei grandes passos. Passei a sentir que controlo mais a minha vida (realizando tarefas para alcançar os meus sonhos), sinto que descobri o meu propósito de vida, tenho imensa vontade de aprender mais (de adquirir a dita sabedoria), entro com muito mais facilidade em «estado de fluxo», etc. Apesar de não ser uma pessoa totalmente feliz, garantidamente a minha vida mudou para melhor - sou mais feliz hoje! Por isso, acho que vale realmente a pena inspirarmo-nos neste tipo de pessoas.

Eu comecei a fazer isso há uns anos. E tu, está disposto/a a tentar?