TudoSobreTudo

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Estertores de um mandato presidencial

O cada vez mais distante impeachment de Dilma coloca Temer e, com ele, todo o PMDB na presidência. Se houver cassação da chapa pelo TSE, há duas possibilidades. A primeira, é a dupla ser cassada antes da primeira metade do mandato : neste caso há nova eleição, que deve se dar em 90 dias. Para não ficar acéfala neste interregno, a chefia do país é dada ao presidente da Câmara, no caso Eduardo Cunha. A segunda possibilidade é a cassação se dar na segunda metade do mandato, situação em que o novo mandatário é escolhido pelo Congresso por meio de voto indireto.
Análises
Analisemos as possibilidades acima apresentadas. No caso de impeachment, o PMDB, com seus múltiplos interesses, assume, o que não parece ser nada promissor. Se a cassação se der antes de dois anos, haverá novas eleições, mas o Congresso será o mesmo, de modo que o novel presidente assume meio capenga. Isso sem falar num impensável mandato de um trimestre de Eduardo Cunha. Por fim, se a cassação se der depois de dois anos de Dilma, quem resolve é o Congresso, o mesmo que elegeu como presidente das Casas Renan e Cunha. Ou seja, pode ser que, em vez de luz, haja um abismo no fim do túnel. Salve-se quem puder.
Fotografia
Pelos cenários acima mostrados, e sabendo que o feito no TSE só terminaria em meados do ano que vem, entende-se claramente porque o PSDB "abandonou" o processo de cassação de Dilma. Os tucanos agora, pelo visto, querem que o governo sangre até o fim e que atinja outras pessoas. Com efeito, ninguém duvide, o que assombra os tucanos é a possibilidade do presidente Lula surgir como salvador da pátria.
Discussões jurídicas

No caso da cassação na primeira metade do mandato, há uma discussão sobre a possibilidade de o segundo colocado assumir. Baseiam-se - os que advogam essa tese - no art. 224 do Código Eleitoral; e há precedentes como o caso de Roseana depois da questionável cassação de Jackson Lago. Ocorre, no entanto, que a constitucionalidade desse entendimento é bem duvidosa. Agora, no caso de cassação depois de dois anos de mandato, há quem diga que o preceito constitucional do § 1º do art. 81, que fala em eleição indireta, estaria em desarmonia com o restante da Carta, de modo que a eleição deveria ser direta. Em ambos os casos, o novel presidente ocupará um mandato tampão, melhor dizendo, só até o final do mandato original.

Ghost Riders in the Sky - Johnny Cash - Full Song



domingo, 28 de fevereiro de 2016

Al Green-Lets Stay Together



Lava-Jato - O achaque de Cunha.



Discussão em audiência da "lava jato"






BJ, o elo da Odebrecht com os políticos


Um dos executivos mais importantes da companhia, Benedicto Barbosa Júnior foi o responsável pelas obras da Copa do Mundo e das Olimpíadas de 2016

Benedicto Barbosa da Silva Junior
O empresário Benedicto Barbosa da Silva Junior, presidente da Construtora Odebrecht (Holanda Cavalcanti / Mário Grisolli/Divulgação)
Benedicto Barbosa da Silva Junior, de 55 anos, passou trinta deles na Odebrecht. Entrou como trainee, recém-saído da Escola de Engenharia Civil de Lins, no interior de São Paulo, e tornou-se presidente da Construtora Norberto Odebrecht (CNO) - terceiro nome na hierarquia do grupo, considerado o patrimônio da divisão que comanda. Nesse período, construiu não apenas uma carreira de sucesso, mas também uma relação de proximidade com o herdeiro da gigante, Marcelo Odebrecht. Alvo da Acarajé, 23ª fase da Operação Lava Jato, Barbosa juntou-se ao chefe novamente nesta semana, ao ser preso pela Polícia Federal. Ele foi solto na tarde desta sexta-feira após expirar o prazo de cinco dias da prisão temporária.
Foi justamente a proximidade com Odebrecht que contribuiu para levar BJ, como o executivo é mais conhecido, para trás das grades. Segundo os investigadores, há indícios de que Barbosa era quem fazia a ponte entre a empresa e os políticos, o homem a ser "acionado" quando houvesse necessidade de intermediação de autoridades públicas. "É possível verificar que Benedicto é pessoa acionada por Marcelo para tratar de assuntos referentes ao meio político, inclusive a obtenção de apoio financeiro", diz inquérito da PF assinado pelo delegado Filipe Hille Pace.
Segundo o advogado Nélio Machado, em depoimento na quarta-feira, BJ explicou à PF como a Odebrecht repassou recursos - segundo ele, legais - aos políticos. "Ele explicou como é que se faz. Durante décadas as empresas fizeram doações eleitorais, é um critério plural", disse o defensor. Em decisão desta sexta, o juiz federal Sergio Moro decidiu liberá-lo, com a ressalva de que ele não pode sair do país nem mudar de endereço. "Apesar apesar de seu posto executivo elevado no Grupo Odebrecht, consta que, aparentemente, os principais executivos da empresa envolvidos com as operações financeiras secretas já se encontram presos cautelarmente", escreveu Moro.
O principal fundamento do pedido de prisão apresentado pelo Ministério Público Federal é o de que, assim como Marcelo, BJ teria pleno conhecimento do esquema criminoso instaurado na Petrobras. "No curso das investigações relacionadas ao Grupo Odebrecht, foi possível identificar outros executivos que se encontravam proximamente vinculados ao presidente Marcelo Bahia Odebrecht, e sob os quais pairam indícios de que tenham ativamente participado da organização criminosa formada no âmbito daquele conglomerado empresarial para a prática de ilícitos penais. Um deles é Benedicto Barbosa da Silva Junior", diz o texto.
BJ teve uma carreira meteórica na Odebrecht. Em apenas quatro anos, foi de trainee a gerente de contrato. Especializou-se em obras de alta complexidade, como hidrelétricas e metrô - chamavam-no quando era preciso resolver questões "irresolvíveis". Era conhecido pelos outros funcionários como alguém de "linha de frente", que preferia visitar os canteiros de obras a ficar trancado no escritório no Rio de Janeiro. No seu vasto portfólio, destacam-se a construção do metrô de Copacabana, no Rio, e a Usina de Três Gargantas, na China, uma das maiores do mundo.
Além disso, foi diretor superintendente da empresa no Sudeste Asiático, trabalhando de Kuala Lumpur, capital da Malásia. Em 2008, tornou-se presidente da CNO, ficando encarregado das - controversas - obras da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016. Torcedor fanático do Corinthians, cuidou pessoalmente da construção da arena do seu time de coração, em São Paulo. Junto com um consórcio formado com a Andrade Gutierrez, também foi responsável pela reforma do Maracanã.
Em um texto publicado pela agência Odebrecht, Júnior é apresentado como mais um do "bando de loucos" - referência a um canto da torcida organizada do Corinthians. Ele, inclusive, aparece em fotos com o ex-presidente do clube Andres Sanchez e o ex-presidente Lula, também corintiano, na época de fechamento do contrato entre a empresa e o clube. Outra matéria conta que o seu escritório é decorado com uma camisa do time preto e branco e miniaturas de trator. Em outro texto, intitulado "Relatos Inspiradores", ele chega a falar sobre a sua relação com o herdeiro da companhia. "Agora tenho contato com o Marcelo Odebrecht, que complementa minha visão empresarial com seu arrojo", diz na publicação.
Pelos diálogos interceptados pela PF, o contato de BJ com Marcelo parece ir além de uma mera relação empresarial. Apesar de separados por cerca de 400 quilômetros - Marcelo ficava em São Paulo, e ele, no Rio -, os dois parecem manter um contato constante, principalmente sobre assuntos políticos. Trocam entre si elogios e "xingamentos", repassam vídeos humorísticos do Youtube, comentam "erros" da presidente Dilma Rousseff no debate eleitoral, falam de parlamentares e até especulam sobre os rumos da Lava Jato - obviamente, antes de Marcelo ser preso na Erga Omnes. "Vi agora. Pela hora que você chegou às 10h30 podia ter subido! Não atrapalha nunca, pelo contrário facilita e ajuda!", diz uma mensagem de Marcelo a BJ após ele, aparentemente, ter esperado para ser recebido pelo então presidente da holding.
Como os parlamentares têm foro privilegiado, a PF precisou esconder com tarja preta os nomes dos parlamentares que surgem aos montes nas mensagens - eles foram ocultados em ao menos dez vezes. O único que aparece sem a rasura é a sigla SCF referente ao ex-governador do Rio Sérgio Cabral Filho, segundo a PF. "Vc acabou não falando depois. Está preocupado com SCF e outros no tema MF?", pergunta Marcelo, sobre o envolvimento de outro executivo afastado da companhia Márcio Faria com o ex-governador. Benedito, então, responde: "Ok. Preciso resolver 100 mil (nome de algum político com foro). Vou aproveitar este momento PT/PSDB". Marcelo diz: "Não entendi. Depois você me fala seguro". Com a última mensagem, a PF constatou que a dupla mantinha um canal de comunicação restrito para tratar de temas "escusos".
Na época das eleições presidenciais de 2014, Marcelo envia a BJ um vídeo do Youtube que satiriza a presidente Dilma Rousseff e o senador Aécio Neves. "Muito divertido", comenta. Na sequência, a dupla cita a página Dilma Bolada seguida pela frase "DR pagou 1 mi", escrita por BJ. "Exato", responde o chefe. A PF levantou a suspeita de que os dois falam sobre o pagamento a "pseudohumoristas", conforme escreveu o delegado, "visando a promoção de ataques a outros candidatos". O juiz federal Sergio Moro também destacou, em despacho, que a PF identificou duas reuniões entre BJ e o ex-ministro José Dirceu em outubro de 2010 e abril de 2011.
Com uma carreira invejável, BJ ganhou, em janeiro de 2014, o prêmio "O Equilibrista" do Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças (IBEF). Segundo nota do instituto, a homenagem é uma espécie de "Oscar do setor". Nos registros da Câmara Municipal de Lins, também consta que Júnior ganhou o título de "Cidadão Benemérito" da cidade por seus "relevantes serviços prestados ao município".
A alcunha BJ também aparece com recorrência em uma planilha associada a valores, que foi apreendida em um e-mail secreto do ex-executivo da Odebrecht Fernando Migliaccio, preso na Suíça enquanto tentava retirar dinheiro de contas bancárias. Segundo as investigações, a tabela trata de repasse de dinheiro a partidos políticos, especialmente ao PT. A defesa de BJ disse que ele não "tem condições" de falar sobre a planilha, pois a desconhece totalmente.
"Marcelo Bahia Odebrecht é o verdadeiro gestor de tais 'créditos'. Benedicto Barbosa Júnior, por sua vez, desempenha posição igualmente relevante na administração da conta, basta lembrar que na planilha a sigla 'BJ' é a que apresenta as maiores cifras, sendo permitida a conclusão de que a maior parte de recursos espúrios eram originados da área dentro da Odebrecht controlada por Benedicto", diz o inquérito.
Esta não é a primeira vez que Benedicto Barbosa Júnior é citado na Operação Lava Jato. Em uma troca de mensagens entre o presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e o ex-presidente da OAS Leo Pinheiro, seu nome é mencionado pelo peemedebista como alguém capaz de ajudar a resolver problemas. "Tive com Júnior e pedi para ele doar por vc ao Henrique (Eduardo Alves). Ele, então, recebe um "OK" de Leo Pinheiro. "Tocando com Júnior aqui, na pressão. Ele vai resolver e se entende com vc", responde Cunha. BJ também está na lista de presenteados de Pinheiro. O executivo da OAS tinha o hábito de presentear parlamentares, ministros e empreiteiros em datas comemorativas. Para Júnior, ele deu uma biografia do jogador argentino Lionel Messi.
Em nota, a Odebrecht classificou a prisão de BJ como "medida extrema e injusta" e ressaltou que ele sempre esteve à disposição para prestar esclarecimentos à Lava Jato. No seu lugar, entrou em caráter interino o engenheiro Carlos Hermanny Filho.
Confira a nota da Odebrecht na íntegra:
A Construtora Norberto Odebrecht esclarece que Benedicto Barbosa da Silva Junior sempre esteve à disposição para colaborar com as investigações em curso, sendo sua detenção uma medida extrema e injusta. Em seu lugar, para desempenhar interinamente as funções de líder empresarial, foi designado o engenheiro Carlos Hermanny Filho. Ambos ingressaram na empresa ainda como estagiários, na década de 80, tendo participado de importantes obras no país e no exterior. A CNO dispõe de sólido sistema interno de compliance, alinhada com os mais rigorosos padrões internacionais. A empresa reafirma sua confiança na Justiça, com a firme disposição de atuar para o esclarecimento de qualquer fato ou dúvida.
(Com contribuição de João Pedroso)

VIVER BEM - Mario Sergio Cortella fala sobre VIDA, MORTE, LONGEVIDADE e muito mais!



Juiz Sérgio Moro - Brazil Summit - The Economist - 27/10/2015



Juiz Sérgio Moro palestra sobre o caso Lava Jato durante Exame Fórum 2015





Publicado em 8 de set de 2015
O juiz federal Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato – que descortinou o escândalo de corrupção na Petrobras – rebateu durante o Exame Fórum as críticas de que as investigações seriam responsáveis pela crise econômica que afeta o Brasil. Durante palestra, o juiz comparou a Lava Jato com a ação contra a máfia italiana na operação Mãos Limpas e afirmou que o Brasil é corroído por um esquema de corrupção sistêmica.

Palestra proferida por Sergio Moro com o tema ‘Corrupção sistêmica: as lições da operação mãos limpas’, em 31 de agosto no Exame Fórum 2015, ocorrido em São Paulo.
O juiz federal Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato, rebateu nesta segunda-feira os argumentos de que as investigações do esquema de corrupção no setor público seriam responsáveis, em partes, pela crise econômica que afeta o país.
"O policial que descobre o cadáver não é culpado do homicídio", afirmou durante o EXAME Fórum 2015. "Não é a operação que fez a Abreu e Lima ter seus custos elevados de US$ 2 bilhões para US$ 18 bilhões".
Segundo ele, é a corrupção sistêmica que traz prejuízos para a economia. "Se os agentes do mercado não têm confiança de que podem concorrer em condições iguais em contratos públicos, se há uma zona sombria de pagamento de propina, isso gera um impacto no funcionamento do mercado", afirmou.
Moro voltou a afirmar que as investigações sobre o esquema de desvios de recursos na Petrobras não são a única solução para o problema da corrupção.
'Eu sempre recebo tapinhas nas costas de pessoas que dizem que [a Lava Jato] vai mudar o país. Não acreditem nisso. O que muda o país são as instituições mais fortes", afirmou.

Samuel Rosa (Skank) e Fernanda - Pra Curar Essa Dor (Heal The Pain)



sábado, 27 de fevereiro de 2016

MORO DESCASCA LULA PARA PRENDÊ-LO

Por: JORGE OLIVEIRA

Vitória - Não conheço a formação acadêmica do juiz Sergio Moro, muito menos a sua predileção por livros clássicos. Nunca me ative aos seus dotes intelectuais. Passei a admirá-lo mais pela sua eficiência jurídica, coragem, valentia e, sobretudo, pelo seu empenho em passar o Brasil a limpo, o que para mim já é o bastante. Mas analisando com mais profundidade o seu trabalho à frente da Lava Jato arrisco a dizer que se trata de um leitor voraz de Nicolau Maquiavel.

Só uma pessoa com o conhecimento do escritor renascentista italiano, que escreveu sobre política de estado, teria essa sagacidade e a esperteza para destroçar o Partido dos Trabalhadores. Para isso, ele age com sobriedade e adota um estratagema de forma a não permitir que as suas decisões sejam contestadas pelos tribunais superiores, a exemplo do STF e do STJ. Moro descasca lentamente a personalidade política de Lula e desnuda com precisão a fanfarronice do ex-presidente, mostrando-o à sociedade como um farsante, cúmplice do maior escândalo da história do Brasil.

Sergio Moro aprendeu tudo com Maquiavel, certamente devorando o Príncipe, seu livro mais conhecido. Aprendeu, inclusive, a atacar seu alvo no momento certo com precisão cirúrgica para manter a sua caça na toca. Veja: ele descama a popularidade do Lula desde que começaram as investigações da Lava Jato, encurralando-o no canto do ringue sem deixar soar o gongo salvador. Hoje, não se sabe de quem é a maior rejeição se do seu partido, o PT, ou a dele,  o que abre caminho para o bote final de Sergio Moro ao chegar mais próximo da intimidade de Lula com os empresários e lobistas que roubaram a Petrobrás.

Moro foi envolvendo Lula na Lava Jato a conta-gotas com a colaboração dos delatores que o deixaram na vitrine da corrupção. Não se precipitou, como bom estrategista, em chamá-lo para depor antes de ter em seu poder confissões de investigados que o colocava na cena do crime como um personagem influente da trama da corrupção.  Trabalhou com paciência, como um exímio enxadrista, para acuar o ex-presidente até o xeque-mate que se aproxima com  a movimentação cuidadosa das peças no tabuleiro.

Lula detém hoje uma rejeição de mais de 55%, segundo o Ibope, índice que o coloca praticamente fora do páreo presidencial em 2018.  O seu partido, o PT, carrega a pesada cruz da corrupção e certamente nas eleições municipais deste ano vai experimentar o porrete do eleitor. O ex-presidente se mantém na mídia diariamente como o sujeito que “não sabe nada”, que vive às custas dos “amigos” e que tem as suas despesas pagas por um colegiado de empresários corruptos e condenados, muitos na cadeia como Leo Pinheiro, da OAS, e Marcelo Odebrecht.

Com a imagem abalada, lambida pela Lava Jato, Lula ainda conta com o suporte do “Exercito Vermelho” do Stédile e de alguns pelegos da centrais sindicais que no momento oportuno deverão ser contidos pela própria sociedade. Da Câmara e do Senado vem a resposta a sua maldição com a redução da bancada de deputados e senadores, que fogem do PT como o diabo da cruz. E, agora, para seu desespero, vai ter que torcer para que João Santana não bote a boca no trombone como fez Duda Mendonça ao depor na CPI do mensalão.

É assim que o juiz Sergio Moro está montando o quebra-cabeça do maior escândalo da história do país, organizando  o jogo de xadrez com inteligência e a paciência de um monge. A prisão de Lula, se vier a ocorrer, será apenas o coroamento dessa operação incansável dos nossos Eliot Ness. Com a imagem deteriorada, Moro não acredita que o povo proteste nas ruas contra a prisão de Lula no desfecho da operação.

Ao STF e a STJ não resta outra alternativa que não seja a de aplaudir Sergio Moro, o magistrado que veste à Justiça com uma nova toga, a da dignidade.       

 

Moro responde Lula, Dilma e advogados de suspeitos: excepcional é o roubo de seis bilhões da Petrobras

Em várias circunstâncias, a presidente Dilma Rousseff, o ex-presidente Lula e representantes do PT tem se referido a Operação Lava Jato e o avanço das investigações conduzidas pelo competente juiz Sérgiho Moro como "ações de setores da oposição para atingir o PT".
Lula e Dilma estão revoltados, e apavorados, com a prisão do Ministro da Propaganda do Governo, o marqueteiro João Santana e de sua esposa.

O fato é que o pessoal do PT e outros meliantes ligados à Lula e Dilma é quem são os verdadeiros responsáveis pelas "ações" espetaculares de roubo, lavagem de dinheiro e distribuição de propinas oriundas dos desvios da Petrobras em favor do partido e de seus candidatos. O juiz Sérgio moro simplesmente investiga, condena os culpados e inocenta aqueles que não estão comprovadamente envolvidos em crimes.
No despacho em que mandou prender o marqueteiro de Dilma e Lula, João Santana, o juiz rebateu com veemência as críticas que a Operação Lava Jato tem recebido por parte do governo Dilma, de Lula, de advogados, inclusive defensores de investigados e réus em ações penais sobre o esquema de propinas e corrupção instalado na Petrobras entre 2004 e 2014.
"Excepcional não é a prisão cautelar, mas o grau de deterioração da coisa pública revelada pelos processos na Operação Lava Jato, com prejuízos já assumidos de cerca de seis bilhões de reais somente pela Petrobras e a possibilidade, segundo investigações em curso no Supremo Tribunal Federal, de que os desvios tenham sido utilizados para pagamento de propina a dezenas de parlamentares, comprometendo a própria qualidade de nossa democracia", escreveu Moro.
O juiz federal ainda mandou um recado aos descontentes do PT e do governo Dilma, que têm condenado publicamente o que chamam de "excesso de prisões".
"Embora as prisões cautelares decretadas recebam pontualmente críticas, o fato é que, se a corrupção é sistêmica e profunda, impõe-se a prisão preventiva para debelá-la, sob pena de agravamento progressivo do quadro criminoso. Se os custos do enfrentamento hoje são grandes, certamente serão maiores no futuro. O País já paga, atualmente, um preço elevado, com várias autoridades públicas denunciadas ou investigadas em esquemas de corrupção, minando a confiança na regra da lei e na democracia. Impor a prisão preventiva em um quadro de fraudes, corrupção, lavagem e evasão fraudulenta sistêmica é aplicação ortodoxa da lei processual penal." Observou o juiz.

A racionalidade aponta que Marcelo Odebrecht chegou a uma encruzilhada: ou vai ser o anti-herói por excelência dessa quadra infeliz da história brasileira, arcando com o peso de muitos anos de cadeia e condenando a verdade à poeira do tempo, ou contribui para elucidar os fatos. Farei agora uma aparente digressão para chegar à essência da coisa.

Gostei do raciocínio. Alias, gostei mesmo!
A racionalidade aponta que Marcelo Odebrecht chegou a uma encruzilhada: ou vai ser o anti-herói por excelência dessa quadra infeliz da história brasileira, arcando com o peso de muitos anos de cadeia e condenando a verdade à poeira do tempo, ou contribui para elucidar os fatos. Farei agora uma aparente digressão para chegar à essência da coisa.
Há eventos que, na sua singularidade até besta, indicam uma mudança de estágio. Algo aconteceu nas consciências com a prisão do marqueteiro João Santana e de sua mulher, Mônica Moura. E com poder para incendiar de novo as ruas. O decoro, meus caros, é sempre uma necessidade. O que a cultura nos dá de mais importante é um senso de adequação, mesmo nos piores momentos, nos mais constrangedores.
Nunca se viram no Brasil presos como João e Mônica. Ele surgiu com o rosto plácido, sorridente, como se estivesse no nirvana. Ela, mascando um chiclete contidamente furioso, exibia um queixo desafiador. Nem um nem outro buscaram ao menos fingir a compunção dos culpados quando flagrados ou dos inocentes quando injustiçados.
O pesar, quando não se é um psicopata, não distingue culpa de inocência. Mesmo os faltosos não escapam da vergonha se expostos. Coloque-se no lugar de um preso, leitor. Não deve ser fácil ter de lidar com a censura, a decepção e a tristeza daquelas pessoas que compõem a sua grei sentimental e que legitimam o mundo que o cerca. Quando se trata de um inocente, então, aí a coisa pode ser ainda pior. Junta-se à dor a revolta contra a injustiça.
A tristeza passou longe de João e Mônica! Viu-se apenas um riso sardônico.
Não estou aqui a exigir a humilhação pública deste ou daquele. Abomino esse tipo de espetáculo. Também não quero transformar expressões faciais em prova de culpa. Mas uma coisa é certa: marido e mulher são especialistas em cuidar da imagem das pessoas. Suas empresas se orgulham de eleger postes. Eles conhecem o peso dos símbolos. Mas, tudo indica, não conseguiram esconder uma natureza.
Trata-se, infiro, de um tipo psíquico, incapaz de sentir vergonha ou culpa. Se inexiste essa dupla para conter os apetites, então tudo é permitido.
Volto a Marcelo. Em seu depoimento, Mônica afirmou ter recebido, pelo caixa dois, US$ 3 milhões da Odebrecht e US$ 4,5 milhões do lobista Zwi Skornicki. O primeiro montante seria pagamento por campanhas eleitorais em Angola, Panamá e Venezuela; o segundo estaria relacionado apenas à jornada angolana.
Venham cá: se empreiteira e marqueteiros têm esse comportamento em outros países, por que não o adotariam por aqui mesmo? Para preservar o PT, a si mesma e ao marido, Mônica torna ainda mais gravosa a situação da Odebrecht, que, então, segundo o seu testemunho, burla regras em eleições mundo afora.
Desde a primeira hora, recomendo que empreiteiros, Marcelo Odebrecht em particular, se lembrem do publicitário Marcos Valério e da banqueira Kátia Rabelo, que pegaram as duas maiores penas do mensalão. Os criminosos da política já estão flanando por aí, alguns a delinquir de novo, mas os dois mofam na cadeia. Até parece que poderiam ter feito o mensalão sem o concurso dos políticos.
Marcelo terá de decidir se vai ser o cordeiro que expia os pecados do PT e de todos os empreiteiros, os seus próprios também, ou se explicita a natureza do jogo que Mônica, tudo indica, tentou esconder.
Fala, Marcelo Odebrecht! Não há como o Brasil não melhorar.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

The Hollies - Bus Stop (1966 Live)



Em: 26/02/2013 - Congresso Nacional custa R$ 23 milhões por dia ao país - Imagina hoje, hein???


Até o final deste ano, parlamentares deverão torrar 8,4 bilhões de reais - o equivalente aos gastos integrais de seis ministérios, segundo Contas Abertas


Chuva e raios atinge o edifício do Congresso Nacional em Brasília
Congressista brasileiro é o segundo mais caro do mundo(Alan Marques/Folha Imagem/VEJA)
Ao longo de 2013, a Câmara dos Deputados e o Senado Federal custarão juntos, por dia, 23 milhões de reais aos cofres públicos - dinheiro que, vale lembrar, sai do bolso do contribuinte brasileiro. O valor total deve chegar a 8,4 bilhões - montante semelhante aos dispêndios integrais de seis ministérios: Cultura, Pesca, Esporte, Turismo, Meio Ambiente e Relações Exteriores. Também equivale a todo o orçamento autorizado para a cidade de Belo Horizonte (MG) no ano passado.
Segundo levantamento feito pela ONG Contas Abertas, nestes gastos estão incluídos os salários dos 15.647 servidores efetivos e comissionados da Câmara e dos 6.345 do Senado, além de aposentadorias, pensões, indenizações, compra de materiais de consumo, serviços de terceiros, entre outros itens. No ano passado, o Congresso foi mais comedido e gastou 10% a menos que o previsto para o exercício atual: 7,6 bilhões de reais. Desse total, 373 milhões (5%) foram destinados ao custeio de despesas pendentes em 2011.
Os gastos com pagamento de pessoal lideram as despesas do Congresso. No ano passado, consumiram 40% do total gasto: o equivalente a 3 bilhões de reais. Além dos salários propriamente ditos, os vencimentos dos servidores incluem adicionais noturnos, incorporações, adicionais de periculosidade e insalubridade, férias, 13º salário, entre outros. Só em adicional noturno, por exemplo, Câmara e Senado pagaram 4,4 milhões de reais em 2012.
O pagamento de horas extras é outro gasto que soma uma quantia significativa nas despesas do Congresso. Foram pagos pelas duas casas 52 milhões de reais em horas adicionais aos servidores em 2012. A Câmara dos Deputados foi responsável por 44,4 milhões desse montante. O valor gasto pelo Senado só não foi maior, pois, de acordo com relatório divulgado no início do mês, a Casa economizou 35 milhões com despesas de horas extras no ano passado, após a criação do banco de horas.
Em segundo lugar na lista de despesas está o pagamento de aposentadorias. Ao todo, 1,7 bilhão de reais foi gasto com os 2.839 servidores aposentados do Senado e 2.563 da Câmara. Em seguida, estão os custos das pensões, que somaram 529 milhões. Os gastos ainda envolveram os desembolsos com sentenças judiciais, indenizações trabalhistas e restituições. As três rubricas custaram 205 milhões de reais ao Congresso - sendo 83% dos pagamentos feitos pela Câmara.
Anos anteriores - As despesas do Senado Federal em 2012 foram inferiores as dos últimos dois anos, considerando os valores corrigidos pela inflação. No ano passado, a Casa custou 3,3 bilhões aos cofres públicos. O valor também é menor que a média dos últimos sete anos - 3,4 bilhões. Já os gastos da Câmara dos Deputados foram os maiores desde 2003. A Casa pagou 4,2 bilhões de reais em 2012 - 400 milhões a mais que a média anual dos últimos dez anos, que era de 3,8 bilhões.
O congressista brasileiro é o segundo mais caro em um universo de 110 países - custo de 7,4 milhões de dólares por ano - segundo estudo realizado em 2012 pela Organização das Nações Unidas (ONU) em parceria com a UIP (União Interparlamentar), ficando abaixo apenas dos parlamentares americanos (custo de 9,6 milhões de dólares anuais).
O Congresso Nacional é constituído por 513 deputados e 81 senadores. Segundo o Ministério do Planejamento, em 2012 a média salarial do Legislativo era de 15 055 reais. O valor é mais que o dobro do que ganham os servidores do Executivo - 5 906 reais. No Judiciário, a média é de 10 385. O salário de um parlamentar é de 26 700 reais (fora o auxílio-moradia de 3 800 reais e a cota para exercício do mandato de 34 200 reais).
Há uma semana, o presidente do Senado, Renan Calheiros, anunciou uma reforma administrativa na Casa e a promessa de economizar 262 milhões ao ano. A proposta já foi aprovada pela Mesa Diretora. Embora a economia seja bem-vinda, ela representa apenas 7% do orçamento da Casa previsto para este ano, de 3,5 bilhões de reais.

Comunista-lulista incita ódio contra Juiz Moro e o chama de 'juizinho fascitoide'

Se você ainda não curtiu, curta o FCS Brasil no Facebook: 
Emir Sader, um marxista de carteirinha e incitador dos militontos vermelhopatas, publicou no Twitter algo que no mínimo, poderia lhe render uma boa detenção por incitação ao ódio contra o Juiz Moro.
Ele postou:
"Esse juizinho fascitoide precisa saber que qualquer provocação pra cima do Lula vai ter resposta duríssima pra cima dele".
O Antagonista asseverou bem, "Emir Sader é um bocó, mas seu desespero mostra que o quebra-quebra é a última defesa que ainda resta ao lulismo."
PRINT:

14 atitudes que você deve tomar para que sua vida se torne melhor

vida saudável
Crédito/imagem: Shutterstock
Todos queremos ter uma vida feliz e todos sabemos que se adotarmos uma atitude positiva o retorno virá. Mas, por muitas razões e situações de vida, todos nós em alguns momentos deixamos de lado as coisas certas e fazemos algo que prejudicará nossa saúde ou hábito de vida.
Então, o que podemos fazer para que as atitudes positivas se tornem um hábito em no nosso dia-a-dia?
Vamos às dicas:

1 – Cozinhe seu jantar ao menos 3 vezes por semana

homem cozinhando
Crédito/imagem: Shutterstock
Claro, é muito mais rápido você pedir uma pizza, esfirras ou qualquer outro tipo de comida delivery, não é mesmo? Mas, o que você está ganhando em tempo, você está perdendo em sabor , nutrição e boa saúde. Estudos mostram pessoas que cozinham a maioria de suas refeições em casa são mais magros, têm menos probabilidade de se tornar diabéticos, consomem menos calorias, menos açúcar e menos gordura em geral.
Se comprometa em cozinhar ao menos 3 jantares por semana usando ingredientes frescos. Pode parecer difícil no começo , mas há milhares de receitas fáceis e saudáveis que você pode encontrar na internet.

2 – Desligue seu celular quando estiver acompanhado de amigos 

desligar o celular em encontros
Crédito/imagem: Shutterstock
Fala a verdade, quando você está em uma confraternização com amigos, não há necessidade nenhuma em ficar fuçando no celular, tem? Deixe para usar o aparelho em seu trabalho, tente usá-lo apenas em horário comercial, faça esse exercício. É outra atitude que no início será difícil, mas caso você consiga, você se tornará uma pessoa muito mais agradável aos olhos de seus amigos.

3 – Comece a tomar vitamina D 

vitamina D
Crédito/imagem: Shutterstock
Mesmo supondo que você tenha uma alimentação balanceada, um cardápio adequado às suas necessidades e ainda toma os suplementos de forma correta, ainda assim a vitamina D não estará em seu nível desejável. Isso  porque não passamos tempo suficiente no sol durante todo o ano para produzir o suficiente D, e essa vitamina não é encontrada em muitos alimentos.
A vitamina D é crucial para o seu ossos , cérebro , metabolismo e vai te ajudar a evitar doenças devido a baixa imunidade. (busque orientação médica, para saber a quantidade correta que você deve ingerir por dia, de vitamina D).

 4 – Esqueça os elevadores, opte pelas escadas 

benefícios de subir escadas
Crédito/imagem: Shutterstock
Subir escadas em vez de ir pelo elevador é uma das maneiras mais simples de queimar calorias extras.

5 – Viaje ao menos 2 vezes ao ano, sozinho 

viajar
Crédito/imagem: Shutterstock
Se você nunca teve a chance – ou o bom senso – de viajar sozinho, faça ao menos 2 vezes por ano. Você pode fazer o que quiser, quando quiser , limpar sua cabeça , conhecer novas pessoas e talvez aprender alguma coisa sobre si mesmo.
Não precisa ser uma viagem de 10 dias para para algum país, pode ser uma viagem curta ao litoral mais próximo ou uma cidade tranquila do interior, o importante é você estar só.

6 – Faça uma horta 

horta caseira
Crédito/imagem: Shutterstock
Deste modo, quando você for cozinhar, seus alimentos estarão frescos e livres de agrotóxicos. Mas se você tem espaço em sua casa , tente plantar algo simples e pequeno como manjericão, orégano , alecrim, coentro, etc.

7 – Envie cartas

escrever carta
Crédito/imagem: Shutterstock
Evite enviar mensagens aos amigos através de aplicativos de mensagens. Reaprenda a escrever no papel, este ato o tornará mais humano.

8 – Mude seu cardápio do almoço, coma salada sem medo 

benefícios de comer salada
Crédito/imagem: Shutterstock
Se na hora do almoço você come uma salada coberta com legumes frescos e frango grelhado, parabéns, você fez uma escolha saudável. Mas, você pode fazer melhor. Um estudo descobriu que as pessoas que comem salada ao menos 6 vezes por semana são mais saudáveis do que as que comem apenas 1 vez.

9 – Use mais sua bicicleta

benefícios de andar de bicicleta
Crédito/imagem: Shutterstock
Use sua bicicleta para ir trabalhar, ir a farmácia, na casa de um amigo, etc – é um meio de transporte fácil e de longe o mais divertido e saudável. Faça um trato com você mesmo para usar a bike ao menos 1 vez por semana.

10 – Não se esqueça de sempre atualizar seu network profissional

linkedin
Crédito/imagem: Shutterstock
Esteja sempre bem relacionado profissionalmente, isso evitará que caso você perca seu emprego, você fique muito tempo parado.
Atualize seu currículo, seu perfil do LinkedIn, não se esquecendo de colocar as realizações recentes de trabalho enquanto ainda estão frescas em sua mente.
Também convide para um café aquele cara que você conheceu em uma festa cocktail – você nunca sabe se essa pessoa um dia será importante para sua.

11 – Tire mais fotos de qualquer coisa, mas diminua o número de selfies

tirando fotografias
Crédito/imagem: Shutterstock
Reveja por alguns minutos a biblioteca de fotos do seu smartphone. Ela reflete os bons tempos, grandes amigos, e pontos turísticos incríveis que você visitou no ano passado? Ou a galeria de fotos é vazia ou na maior parte, você só tem as famosas selfies que você tirou em suas viagens?
Se você não tiver o hábito de tirar fotos de família, amigos, paisagens e viagens, comece já. Você ficará satisfeito que capturou essas imagens.

12 – Desligue-se do trabalho logo que você sair de sua empresa

desligando do trabalho
Crédito/imagem: Shutterstock
Chegue em casa e brinque com seus filhos, cães, gatos ou então assista um bom filme, leia um livro. O que de fato você precisa fazer é se desligar do trabalho, fazer com que a partir do momento que você pisou em sua cabeça, você saiba que precisa descansar e não ficar preocupado com o que terá de fazer no dia seguinte na empresa.
Algumas dicas para te ajudar a ficar tranquilo em casar é silenciar o seu telefone durante o jantar, desligar seu laptop depois que você der uma checada no e-mail e deixar claro a seus colegas de trabalho que evitem te incomodar após o horário comercial. Sua saúde vai agradecer e muito se você conseguir tomar essas atitudes.

13 – Comece a acordar no mesmo horário, inclusive nos finais de semana 

acordar cedo
Crédito/imagem: Shutterstock
Sim, até mesmo nos finais de semana. Um estudo recente revelou que adultos que dormem uma hora a mais aos sábados e domingos em relação aos dias de semana têm maior IMC (índice de massa corporal), o colesterol ruim pode ser mais alto, a pessoa fica mais resistente à insulina, aumento do risco de diabetes tipo 2 e doença cardíaca.
O problema dessas pequenas alterações de sono é que você acaba confundindo o relógio biológico do seu corpo, o que acaba desregulando o metabolismo, a produção de hormônios e outros processos importantes.
Ninguém está dizendo que você deve deixar de ir a uma festa na sexta-feira à noite, apenas porque você precisa dormir cedo e acordar cedo. Mas, se você conseguir colocar isso em prática, você se sentirá mais disposto a cada dia.

14 – Comece a dieta de recompensas

dieta de recompensa
Crédito/imagem: Shutterstock
Este passo é bem simples. Você se educa da seguinte forma: Você só poderá comer um belo pedaço de bolo, caso tenha se exercitado antes ou se exercitará mais tarde. A ideia é que você sempre tenha um equilíbrio entre as calorias que você ingere e as calorias que você queima durante o dia.